Artigo de Opinião

"Resta à juventude a emigração em massa, o abandono das ruas que viram os seus antepassados florescer. Diz-se, frisa-se, sublinha-se: o turismo cria emprego. Mas que tipo? O precário, o mal remunerado e o iliterado; quando muito, voltamos à apanha do algodão. Enquanto as restantes nações promovem o desenvolvimento tecnológico e industrial, representando o turismo uma riqueza comedida, Portugal opta por apresentar aos letrados a servitude."