Educação

OBRAS NA FEP: REQUALIFICAÇÃO TEM DURAÇÃO PREVISTA DE 13 MESES

O edifício principal da Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) vai sofrer uma requalificação profunda, o que implica o seu encerramento temporário e a mudança das instalações para contentores provisórios. A vida dos estudantes vai sofrer drásticas alterações e algumas questões ficaram por responder.

Inaugurado em 1974, o edifício principal da Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) vai agora entrar em obras profundas, o que obrigou ao seu encerramento no dia 16 de dezembro, final do primeiro semestre. Segundo o site somos. Fep, provisoriamente, o funcionamento da mesma proceder-se-á nas infraestruturas temporárias que começaram a ser instaladas no parque de estacionamento no dia 23 de outubro à entrada da faculdade.

A requalificação abrange o edifício principal da FEP, o obelisco, à entrada da infraestrutura, da autoria do escultor José Rodrigues, e o conjunto de casas rurais na Quinta de Lamas. Além do mais, vai também ser instalada pelos Serviços de Ação Social da Universidade do Porto (SASUP) uma cantina num novo edifício, libertando espaço no edifício principal para as atividades curriculares. Detalhadamente, a remodelação irá incidir sobre as instalações sanitárias, paredes interiores, caixilharia, aquecimento, salas de aula, gabinetes, iluminação, pavimento, serviços e as fachadas do edifício, saneamento e fornecimento de água. As obras a serem realizadas pretendem colmatar alguns problemas principais que se verificam atualmente: falta de espaço e frio nos auditórios da FEP.

As aulas e avaliações irão decorrer nos monoblocos ou no Edifício das Pós-Graduações (EPG), que continua a funcionar normalmente, durante os próximos 13 meses (data prevista para a duração das obras).

Durante a realização da requalificação, os serviços de impressão e informática, os serviços de biblioteca e o bar serão assegurados, quer nas instalações provisórias, quer no Edifício Principal. As organizações estudantis irão também, em principio, ter espaços nas instalações provisórias destinadas.

“As salas de aula das instalações provisórias terão a mesma capacidade do que as salas existentes no Edifício Principal da FEP”

José Varejão, diretor da FEP, no mesmo comunicado, garante que “as salas de aula das instalações provisórias terão a mesma capacidade do que as salas existentes no Edifício Principal da FEP”, respondendo assim a uma das dúvidas colocadas por inúmeros estudantes.

A comunidade académica conta com o parque de estacionamento com entrada pela Rua Actor Ferreira da Silva e com um parque provisório localizado na Quinta de Santo António, neste momento e até ao final das obras.

“A renovação da Faculdade vai custar mais de 5,6 milhões de euros”

O projeto da obra foi elaborado pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (CEFA-UP) e a obra foi adjudicada às empresas Norcep – Construções, SA e Alberto Couto Alves, SA. A renovação da Faculdade vai custar mais de 5,6 milhões de euros.

Ficam assim por responder  algumas questões. A existência de espaços de convívio, a dimensão das turmas e futuros horários em função das dimensões e números dos contentores são algumas das dúvidas colocadas por alunos da faculdade. Além disso, agora que se iniciou o período de avaliações, surgiram algumas preocupações quanto às condições precárias das casas de banho provisórias e entrada de chuva dentro dos contentores.