Ciência e Saúde

XPECTRALTEK: ANALISAR O INTERIOR, PRESERVAR O EXTERIOR

A Xpectraltek é uma “startup” portuguesa que concebeu uma nova tecnologia para ver o interior e analisar o estado de conservação das obras de arte. Mas o seu uso não fica por aqui.

A Xpectraltek é uma startup que começou por ser incubada no UPTEC e agora está sediada em Braga. A empresa desenvolveu uma tecnologia que permite analisar o interior de objetos de forma não invasiva e não destrutiva. A técnica consiste na recolha de informação dos materiais analisados através de sensores existentes na plataforma ótica desenvolvida, a XpeCAM.

A tecnologia permite que se saiba o estado do interior de objetos sem a necessidade de os “abrir”, através da medição de determinados valores recolhidos pelos sensores.

Em entrevista ao JUP, Vassilis Papadakis, co-fundador da Xpectraltek e investigador, explicou o sistema: “É um espectrómetro de imagem. Pode ser imaginado como uma câmara, mas são cinco milhões de espectrómetros que medem em simultâneo [os valores de refletância e fluorescência pelos materiais analisados]”.

Foto: Xpectraltek

A câmara é utilizada para a análise multiespectral, “uma técnica híbrida que combina os benefícios de outras duas, a espectroscopia e a reflexão”.  Vassilis Papadakis continua a esclarecer que a vantagem da espectroscopia de fluorescência passa pela possibilidade de obter uma “impressão digital” química do material, enquanto que a reflexão está relacionada com a análise mais superficial. Combinados estes resultados, obtém-se “um mapeamento das características espectrais e químicas específicas da superfície observada.”

Começar na arte e ir mais além

A Xpectraltek começou por desenvolver a instrumentação multiespectral para a conservação de obras de arte. “As peças de arte têm superfícies estruturais e composições muito complicadas, especialmente quando são pintadas de várias cores. Isto, e acrescentando o facto de serem objetos constantes, com dinâmicas muito lentas (o envelhecimento, por exemplo) fazem delas o objeto de estudo ideal”, explicou Papadakis.

A expansão para outros mercados foi o passo seguinte, como foi o caso da aplicação da XpeCAM à agricultura. A partir do modelo existente, é possível adaptar a plataforma a diferentes objetos, áreas e objetivos, com uma tecnologia sempre semelhante. “O que é diferente em cada mercado é a otimização da nossa plataforma ao tempo e às características requeridas pelo objeto a ser analisado”, afirmou Vassilis Papadakis.

Foto: Xpectraltek
Foto: Xpectraltek

O investigador grego acrescentou que “a plataforma XpeCAM tem a capacidade de utilizar diferentes componentes óticos, o que permite que seja utilizada em objetos de diferentes escalas.”. Esta característica permite que a tecnologia seja utilizada tanto na análise de pequenas estruturas encontradas na área da biologia como no estudo de grandes construções da área da engenharia.

Trabalho em Portugal, reconhecimento internacional

A análise multiespectral foi estreada em 2016, nas obras de restauro da Igreja dos Clérigos do Porto, e utilizada depois na avaliação do estado de pinturas no Museu Nacional de Machado de Castro. A Xpectraltek está também envolvida em vários projetos de preservação de património, em conjunto com Charis Theodorakopoulos, professor na Universidade de Nortúmbria, no Reino Unido. A colaboração já deu origem a um artigo científico divulgado na APLAR, uma conferência realizada em Catânia, Itália.

O interesse da comunidade científica internacional é forte e “está em vias de ser concluído um trabalho importante, a ser publicado numa revista científica internacional”, concluiu Vassilis Papadakis.